Uso do LED Terapia Capilar

Apesar de já ter post aqui falando sobre fototerapia (já sabe, se não viu ainda, corre lá 👉 https://www.herikasalles.com/post/a-origem-da-fototerapia-e-como-ela-age-no-organismo) quero compartilhar ainda mais informações, desta vez especificamente do LED. 🧐 A sigla LED vem do inglês "Light Emitting Diode" que significa Luz Emitida por Diodo. Os LED’s são diodos que, quando submetidos à corrente elétrica, emitem fótons (luz). 💡 Na Terapia Capilar o LED auxilia nos tratamentos das afecções do couro cabeludo. As indicações dos principais tratamentos capilares feitos com LED são: 💥 Eflúvios; 💥 Alopécia Areata e Androgenética; 💥 Dermatite seborréica; 💥 Pós-operatórios (implante capilar). Existe uma gama de cores que podem ser emitidas e, em cada combinação específica, promove efeitos fisiológicos diferenciados. 🤯


🔵 LED Azul Alcança somente a epiderme e tem função bactericida, viricida e fungicida. Alguns microorganismos são extremamente sensíveis à luz. É Antiinflamatório, pois estimula a produção de citocinas pró-inflamatórias que incluem interleucinas 1 (IL-1), fator de necrose tumoral (TNF) e fator de estimulação de colônias de macrófagos e granulócitos (GM-CSF). Em processos inflamatórios, se a aplicação for imediata, além de acelerar a fisiologia da inflamação, reduz as lesões e consequentemente a dor. É Hidratante. Os radicais livres de oxigênio hidrolisam a água intracelular, produzindo grande quantidade de água, e consequentemente maior hidratação do tecido 🟢 LED Verde Repara o bulbo capilar, pois atua na síntese de fibroblastos, aumentando a deposição de colágeno tipo I e reduzindo a atividade da colagenase nas papilas dérmicas. Atua modulando a energia celular a adenosina trifosfato (ATP), aumentando a produção de colágeno e elastina da derme. Um bulbo rejuvenescido produz fios fortes e saudáveis. 🔴 LED Vermelho Bioestimulante e regenerador. Estimula os processos básicos de energia na mitocôndria de cada célula, sensibilizando os cromóforos e sistema de citocromo. Fotobiomodulador. Diminui a fase telógena e aumenta a fase anágena, tratando assim os quadros, por exemplo, de eflúvio telógeno. Também atua no processo inflamatório inibindo a enzima ciclooxigenase e as prostaglandinas. ⚫⚪🔴 Luz infravermelha Age desde a derme profunda até a camada muscular, fazendo ativação dos fibroblastos, degranulação de mastócitos (ação antiinflamatória) e analgesia temporária. Também possui efeito antiedematoso. Consegue alterar a permeabilidade celular, tanto para água e oxigênio que o sangue carrega para as células, tanto para cosméticos, melhorando a absorção. Curtiu? Nos deixe seu comentário! 😉

3 visualizações0 comentário