A origem da Fototerapia e como ela age no organismo

A fotobiomodulação ou fototerapia é uma tecnologia utilizada para ativar e potencializar a atividade celular na presença da luz, isto é, serve de “combustível” para reações orgânicas.

Há muito tempo a terapia com a utilização da luz é aplicada, seu efeito curativo observado desde a pré-história era considerado sobrenatural e mitológico. A partir da década de 80, com as evoluções tecnológicas possibilitadas pelo avanço da ciência, foi possível entender a forma com que a luz interage com a matéria e com isso entender também o mecanismo de ação realizado pela radiação luminosa sobre as células (BUENO; CRISTOFOLINII, 2014). As primeiras aplicações de fototerapia foram utilizadas para pesquisas de cicatrização de feridas in vivo e para o tratamento do câncer de pele, não melanoma, utilizando comprimentos de onda de 633nm. Em seguida, a terapia passou a ser aplica no tratamento da acne e rejuvenescimento do tecido cutâneo, utilizando comprimentos de onda de 415 e 633nm. A fototerapia também passou a atuar na medicina esportiva com a finalidade de atenuação da dor, utilizando comprimentos de onda de 830nm (CALDERHEAD; TANAKA, 2017). A Fototerapia ocorre quando a interação da Luz com o tecido biológico se dá por meio dos fótons, que são pequenos pacotes de energias, mas que não carregam matéria. Esses fótons são os constituintes da luz. No momento em que a luz entra em contato com as células do tecido, há uma transferência de elétrons, como as radiações de baixa potência / intensidade emitidas pela fototerapia, eles não têm a capacidade de romper ligações químicas, mas sim de alterar bioquimicamente, bioelétricamente e bioenergéticamente as células, assim liberando substâncias químicas e normalizando seu potencial de membrana, resultando em reações fisiológicas, como a ativação de enzimas proteicas através dos cromóforos (BUENO; CRISTOFOLINII, 2014). A Fototerapia é um tratamento baseado na interação da irradiação eletromagnética da luz com os tecidos biológicos. Na Fototerapia são empregados Lasers e LED, que são aparelhos capazes de emitir luz (com um comprimento específico). Atualmente existem no mercado diversos aparelhos com luzes de led, bonés, escovas, capacetes.... que prometem combater queda capilar, curar calvície, acelerar o crescimento... Mas será que é verdade?? A fototerapia pode acelerar ou inibir os processos biológicos. Também pode oferecer diversos efeitos terapêuticos a depender das técnicas e parâmetros de utilização, tais quais: Anti-inflamatório; Analgésico; Estimulador Celular; Modulador do tecido conjuntivo na regeneração e cicatrização; Efeitos da bioestimulação; Aumento de 22% na produção de ATP; Aumento de fibras colágenas; Regeneração de vasos sanguíneos; Aumento na velocidade de crescimento de nervos; Aumento da reepitelização; Estimulação da regeneração em vários tipos de ferida. Portanto, é real e cientificamente comprovado o uso benéfico de luz, seja laser ou LED, para o tratamento das doenças do couro cabeludo. Mas, muita calma nessa hora! É indispensável co-nhe-ci-men-to para se obter sucesso sem correr risco de efeito adverso. É necessário conhecer a fundo a fisiopatogenia dessas doenças tanto quanto os parâmetros de cada luz para o efeito fisiológico desejado. Estou falando de frequência, potência, comprimento de ondas.... entre outros. MAS CUIDADO!! A utilização incorreta da técnica pode provocar efeito contrário, além do fato que ela possui contraindicações. No Centro de Saúde Hérika Salles possuímos os melhores aparelhos de fototerapia e, principalmente, o CONHECIMENTO. Venha nos conhecer melhor!

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo